O design de website parte do princípio de que o ser humano é muito visual, então a probabilidade de uma pessoa permanecer navegando em um site se ele for “bonito” é muito maior. E não importa se o conteúdo ali for o melhor do mundo, ele não será lido se o site estiver feio.

E aqui esse “bonito” não se encaixa em uma questão muito pessoal, mas sim técnica. O neuromarketing nos mostra que trabalhar com sites claros, “cleans”, com cores que agradam os olhos é um dos segredos.

Claro que cada marca pede um design diferente. Uma loja de brinquedos, por exemplo, terá um site muito mais colorido do que uma empresa de engenharia. A persona sempre deve ser levada em conta, já que é o consumidor final.

Além disso, para que o conteúdo seja “consumido”, as imagens devem ajudar o texto, e não atrapalhá-lo. Por isso é necessário um estudo semiótico de página por página para que o site tenha sucesso e seu conteúdo seja lido de forma fácil e natural.

Responsividade do site

Outro aspecto que o design deve levar em conta é a responsividade do site. Muitos endereços perdem leads e pessoas interessadas na compra do produto ou serviço porque elas não conseguiram converter, ou seja, chegar até um formulário ou alguma outra forma de contato com a marca. Às vezes o site está muito confuso ou o caminho até a “ação” é longo demais, o que faz com que elas desistam.

A atenção voltada para o mobile também é superimportante, já que a maioria das pessoas atualmente acessa a internet por meio dele. O design deve ser adaptável e rápido para que as pessoas possam navegar confortavelmente em seus celulares – deve-se levar em consideração que a maioria da população que possui internet não tem um plano de dados móveis .

 

Vamos Tomar um Café